Real Madrid vence Atlético e leva Supercopa da Espanha pela 11ª vez47517

Em final emocionante e decidida nos pênaltis, time merengue conquista a 37ª edição do torneio, neste domingo (12), em Jidá, na Arábia Saudita

O Real Madrid conquistou a Supercopa da Espanha pela 11ª vez em sua história ao derrotar o Atlético de Madri, neste domingo (12), em jogo realizado no Estádio Rei Abdullah, em Jidá, na Arábia Saudita — o torneio tem no novo formato de disputa desde a edição de 2018. O título foi conquistado nas cobranças de pênaltis (4 a 1), após empate em 0 a 0 no tempo regulamentar e na prorrogação.

O jogo

O primeiro tempo foi bastante movimentado e as duas equipes tiveram boas oportunidades. Em uma delas, aos 42 minutos, o volante brasileiro Casemiro esteve perto de abrir o placar com uma cabeçada, após escanteio cobrado por Toni Kroos.

 

Nos cinco minutos iniciais do segundo tempo, o sérvio Luka Jovic teve duas grandes chances de colocar a equipe merengue à frente. Uma delas, inclusive, após grande jogada de Casemiro. Mas o atacante foi muito bem bloqueado em uma das jogadas e errou o alvo na segunda em um chute cruzado.

Aos 14 minutos, o técnico Zinedine Zidane colocou em campo o brasileiro Rodrygo — um dos atletas mais valorizados para a temporada de 2020 — no lugar do meia Isco. A substituição deu ainda mais força ofensiva para o Real na decisão. 

No entanto, aos 34, o atacante Morata recebeu na área e teve tempo para bater de chapa na bola e obrigar o goleiro Courtois a fazer uma grande defesa e salvar o Real Madrid de sofrer um gol a pouco mais de dez minutos do fim da partida.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Nos acréscimos, fortes emoções para as duas torcidas. Aos 46, Rodrygo recebeu na área e chutou firme, mas Oblak fez uma boa defesa. Dois minutos depois, o Atlético quase marcou o gol do título em jogada do volante ganês Partey, mas o belga Courtois espalmou e o jogo terminou. Desta forma, a decisão do título iria para a prorrogação.

Tempo extra

Zidane buscou deixar o Real ainda mais ofensivo na prorrogação e, ainda no primeiro tempo, tirou o meio-campista alemão Toni Kross para colocar em campo o atacante brasileiro Vinícius Júnior.

Aos 4 minutos da segunda etapa do tempo regulamentar, o Real teve duas chances incríveis para marcar em uma mesma jogada, mas o Atlético contou com a sorte para não sofrer o gol que poderia decretar a vitória dos adversários.

Aos 9 minutos, o atacante Morata disparou em direção ao gol de Courtois e com grandes chances de fazer o gol do título, mas foi violentamente derrubado por Valverde pouco antes da meia-lua da grande área. O volante do Real foi expulso e o lance gerou tumulto entre os jogadores.

Pênaltis

Pela primeira vez na história do torneio, a definição do campeão aconteceria por meio das disputas de pênaltis. O Real Madrid iniciou as cobranças.

O lateral-direito Carvajal foi o cobrador do primeiro pênalti e converteu: 1 x 0. Já Saúl carimbou a trave direita de Courtois, que havia caído para o canto oposto, e perdeu a primeira cobrança do Atlético. Em seguida, o brasileiro Rodrygo cobrou com muita força e precisão para ampliar: 2 x 0.

Na sequência, o goleiro Courtois defendeu o chute do volante Partney. Depois, Modric fez o terceiro do Real, praticamente garantindo o título. Mas defensor inglês Tripier confirmou a cobrança e adiou a festa dos merengues.

Sergio Ramos fez a quarta cobrança, deslocou o goleiro Oblak e confirmou o 11º título do Real Madrid.

História da Supercopa da Espanha

O torneio reúne os campeões e vice do Campeonato Espanhol e da Copa do Rei. Os jogos são realizados no formato mata-mata. A primeira edição, realizada em 1982, ano em que foi realizada a Copa do Mundo no país, teve como primeiro campeão a Real Sociedad. No entanto, o Barcelona é o maior vencedor, com 13 títulos. O Real Madrid é o segundo clube em títulos (11), seguido de La Coruña (3) e Atlético de Madri (2).

Fonte: Cesar Sacheto, do R7