Saúde

20/03/2018 - 07:10:29

Virose respiratória é comum e pode ser fatal em bebês; veja cuidados

Pediatra e infectologista alerta que o vírus pode ocasionar desde um simples resfriado até uma pneumonia

Autor: Redação do Portal

É temporada de circulação do Vírus Sincicial Respiratório (VSR) em toda a região Nordeste. O VSR é um vírus de caráter sazonal e circula em cada região numa determinada época do ano. O vírus é a principal causa de infecções respiratórias graves e hospitalizações recorrentes em crianças acima de dois anos e adultos saudáveis, causa sintomas semelhantes aos de um simples resfriado, mas pode ser fatal em bebês prematuros ou com fatores de risco associados.

pediatra-orienta-que-maes-evitem-dormir-com-bebes-entenda

A pediatra e infectologista Alda Moreira alerta que o vírus pode ocasionar desde um simples resfriado até uma pneumonia. “Esse vírus é estritamente respiratório e sintomas são iguais aos do resfriado comum ou da gripe, depende de como ele se instala no ser humano. Se ele contaminar um idoso fragilizado, com doença pulmonar, ele pode provocar uma pneumonia. Assim como em um bebê prematuro, sem a devida imunidade, pode desenvolver uma insuficiência respiratória que pode levar à morte da criança. Porém, se for um ser humano saudável, o vírus pode gerar um simples resfriado”, revela.

A especialista ainda apontou o tratamento e como prevenir a contaminação com o vírus. “É importante lavar bem as mãos; se tiver com secreção nasal, não tossir nem espirrar em ambiente fechado, com outras pessoas, principalmente bebês e idosos; além dos cuidados de higiene pessoal. Também é importante a hidratação, tomar bastante líquido. Se notar cansaço é bom ficar atento, o primeiro sinal de gravidade é o aumento da frequência respiratória, se tiver assim, tem que procurar um especialista o mais rápido possível”, finalizou a médica.

SES oferece medicação gratuita

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) está oferecendo gratuitamente para bebês prematuros o medicamento Palivizumabe, indicado para aumentar a proteção de crianças contra a infecção pelo Vírus Sincicial Respiratório (VSR). O Palivizumabe não é uma vacina, mas uma imunoglobulina – um tipo de anticorpo “pronto” que induz imunização passiva específica contra o VSR.

O remédio é distribuído na Maternidade Frei Damião, no Instituto Cândida Vargas, o Hospital Lauro Wanderley, ambos em João Pessoa; na Maternidade Peregrino Filho, em Patos; e no Instituto de Saúde Elpídeo de Almeida, em Campina Grande. 

Fonte: Portal Correio