Esportes

08/01/2019 - 12:28:38

Suspeito envolvido em morte de ator no Centro Histórico de João Pessoa é detido

Um segundo suspeito também foi levado para prestar depoimento. Prisões ocorreram próximo ao local do crime, diz polícia.

Autor: Redação do Portal

Foi preso na manhã desta terça-feira (8) o suspeito de esfaquear e matar o ator e professor de teatro Simão de Almeida Cunha em João Pessoa, no último domingo (6). Segundo informações da Polícia Militar, o suspeito tem 29 anos, é morador de rua e tem antecedentes criminais. Uma das testemunhas do crime reconheceu o suspeito, ainda de acordo com a polícia.

Morte do ator Simão Cunha no Centro Histórico de João Pessoa é tratada como latrocínio — Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

O suspeito foi preso no Centro de João Pessoa, nas imediações do local do crime, de acordo com a Polícia Militar. A prisão foi feita por policiais do 1º Batalhão de Polícia Militar. O suspeito foi encaminhado para a Central de Polícia, no bairro do Geisel, na Zona Sul de João Pessoa, onde deve ser prestar depoimento ao delegado do caso, Ademir Fernandes. Um outro suspeito, que estava no mesmo local, também está sendo levado para ser ouvido.

Simão de Almeida Cunha, de 30 anos, era natural de Campina Grande e passava férias na capital paraibana. Segundo testemunhas, ele foi visto saindo de um bar no Centro Histórico de João Pessoa pouco antes de ser atacado, por volta de 1h (horário local). Simão chegou a ser socorrido pelo Samu e encaminhado para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na tarde de domingo.

O delegado Hugo Hélder, que também faz parte da investigação, explicou que os dois homens detidos seguem presos à espera de mais coletas de provas para que seja feita a prisão em flagrante. " O que nós temos até o momento é muito frágil ainda para que a gente elabore o flagrante, mas eles seguem presos até que essas diligência sejam concluídas", comentou.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, as circunstâncias levou os policiais até os dois suspeitos. "O local onde eles vivem, são moradores de rua, são pessoas que permanecem a maior parte do tempo nas ruas, consumidores de drogas, já respondem a procedimentos por assaltos com características parecidas com o homicídio em questão. Esses são os fatos que ligam os dois, no presente momento, ao crime", comentou Hugo Hélder.


Segundo o delegado, um dos presos havia confessado ver o outro suspeito com um celular e uma faca após crime, mas caiu em contradição e alegou estár sob efeito de drogas. Imagens de câmeras de segurança nas imediações de onde ocorreu o crime foram coletadas pela Polícia Civil, mas não mostram com clareza detalhes do latrocínio ou informações que confirmem a autoria.

Segundo a PM, o crime aconteceu por volta de 1h (horário local), no Centro da capital paraibana. De acordo com o delegado, com base no depoimento do amigo da vítima, ele e Simão Cunha seguiam pelo Centro por um local escuro, sem muita movimentação, nas imediações do teatro Santa Roza, quando foram abordados por um assaltante armado com uma faca.

O delegado de homicídios, Ademir Fernandes, havia informado ao G1 na segunda-feira (7) que a principal linha de investigação, com base no depoimento do amigo de Simão que presenciou o crime, era de que o crime havia sido um latrocínio.

Simão Cunha chegou a reagir e foi esfaqueado. O velório e o sepultamento de Simão Cunha aconteceu no Campo Santo Parque da Paz, no bairro do Velame, em Campina Grande na segunda-feira (7). 

Fonte: Redação do portal Vale do Piancó Notícias com G1