Paraiba

26/06/2019 - 16:05:13

Paraíba tem menor salário médio mensal do Brasil por segundo ano consecutivo

Paraibano ocupado ganha em média R$ 2.077,79 segundo pesquisa com base no Cempre de estatísticas de 2017.

Autor: Redação do portal

Por pelo menos os segundo ano consecutivo, a Paraíba segue como o estado com menor salário médio mensal do Brasil. De acordo com o estudo feito pelo IBGE, com base no Cadastro Central de Empresas (Cempre) divulgado nesta quarta-feira (26), o salário médio mensal da Paraíba em 2017, ano em questão do estudo, foi de R$ 2.077,79, cerca de 2,2 salários mínimos por mês. O mesmo índice no Brasil foi de R$ 2.848,77.

Salário médio segue correspondendo a 2,2 salário mínimos, de acordo com o IBGE — Foto: Jonathan Lins / G1

Proporcionalmente, não houve alteração em relação ao ano de 2016, quando o salário médio mensal seguia correspondendo à 2,2 salários mínimos, embora, o valor médio tenha aumentado. No ano anterior ao estudo publicado nesta quarta-feira, o salário médio mensal da Paraíba era de R$ 1.921,10.

O Cadastro Central de Empresas reúne informações cadastrais e econômicas de empresas e outras organizações formalmente constituídas e presentes no território nacional, inscritas no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), da Secretaria da Receita Federal, e suas respectivas unidades locais.

O salário médio mensal da Paraíba, no entanto, é muito próximo do registrado no estado de Alagoas, que é de R$ 2.102,29.

Na contramão do salário médio mensal, o número de pessoas ocupadas na Paraíba apresentou um crescimento significativo entre 2016 e 2017. De um ano para o outro houve um crescimento de 74,9 mil pessoas ocupadas, passando de 623,9 mil para 698,8 mil. Outro dado relevante informado no Cempre 2017 foi o número de estabelecimentos: são 63.297 unidades locais.

O setor de “Comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas” corresponde à maioria dos estabelecimentos, com 28.147 unidades, seguido de “Atividades administrativas e serviços complementares” com 5.152 e “Indústrias de transformação” com 4.146 estabelecimentos. 

Fonte: Redação do portal Vale do Piancó Notícias com G1