Celebridades

12/12/2017 - 18:42:00

Justiça aumenta pena de motorista que atropelou modelo Paola Antonini

Acidente aconteceu em dezembro de 2014

Autor: Redação do Portal

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) aumentou nesta terça-feira a pena da motorista que atropelou a modelo Paola Antonini, em dezembro de 2014. A jovem precisou amputar a perna esquerda por causa do acidente. A pena de Diandra Lamounier Morais de Melo passou de um ano e seis meses para dois anos e dois meses, em regime aberto. A elevação da pena foi um pedido do Ministério Público de Minas Gerais.

Além do aumento da pena, a mulher ainda teve o período de suspensão de sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH) extendido. Inicialmente, ela não poderia dirigir por seis meses. Agora, ficará sem a carteira por oito meses e vinte dias. A 1ª Câmara Criminal do TJMG, no entanto, decidiu manter como pena a prestação de serviços comunitários. A instituição onde os trabalhos serão feitos ainda não foi escolhida. Diandra Melo ainda foi multada em dois salários mínimos. Procurada pelo O GLOBO, a assessoria de imprensa da modelo ainda não comentou o assunto.

O acidente provocado por Diandra aconteceu na madrugada de 27 de dezembro de 2014. Ela dirigia alcoolizada e não portava a CNH no momento do atropelamento. A motorista perdeu o controle do veículo na Avenida Raja Gabáglia, em Belo Horizonte, e bateu na traseira de um outro veículo, que estava estacionado. Paola Antonini estava colocando malas no bagageiro do carro e ficou prensada.

Após o acidente, a modelo se tornou embaixadora de uma campanha de conscientização no trânsito. Em sua conta no Instagram, Paola mostra ações com outras pessoas que passaram por amputações por motivos diversos e esbanja autoestima. Em entrevista ao O GLOBO em julho deste ano, ela disse que poder ajudar outras pessoas a superar o trauma é "gratificante".

— Quis mostrar que era possível ter uma vida normal com uma prótese. É muito gratificante receber comentários de pessoas amputadas dizendo que não usavam biquíni ou short há cinco anos, porque tinham vergonha, e passaram a usar depois de verem minhas fotos. Há uma cicatriz enorme na minha perna direita, e não tenho vergonha, e sim muita gratidão por estar viva — disse.

 

 

Fonte: O Globo