Esportes

09/02/2018 - 04:36:37

Garoto de 10 anos repete feito de Neymar, e Cruzeiro planeja segurar promessa

Estevão Willian é o atleta mais jovem no Brasil a assinar contrato com a Nike e tem despertado interesse de vários clubes brasileiros; diretoria celeste vê no jogador um futuro promissor

Autor: Redação do Portal

Estevão Willian Almeida de Oliveira Gonçalves, ou simplesmente Estevão Willian, tem apenas 10 anos, mas já vem chamando a atenção nas categorias de base do Cruzeiro. "Novo" Neymar, Ronaldinho, Ronaldo, são alguns dos apelidos dados ao pequeno, que demonstra muita qualidade e ousadia com a bola nos pés. E não é apenas o clube celeste que sabe do talento que tem. Recentemente, a Nike, fornecedora de material esportivo, assinou contrato com o garoto. Com isso, ele se tornou o mais jovem atleta a ser patrocinado pela empresa. Antes dele, Neymar, os 13, e Rodrygo, aos 11 (atualmente no profissional Santos), alcançaram o feito.

Estevão Willian tem chamado a atenção no Cruzeiro (Foto: Reprodução)

A gente monitora todos os atletas do Brasil. Tentamos pegar os melhores. O Estevão passou por esse processo de monitoramento. Ele chamou muito a atenção, porque é um menino muito novo e joga numa categoria acima. Chama muito atenção, e achamos, por bem, já fechar um contrato com ele - afirmou Hudson Júnior, representante da Nike em Minas Gerais. Ele confirmou que o garoto do Cruzeiro é o mais jovem do Brasil a assinar com a empresa.A pouca idade não impede Estevão Willian de já ter uma bagagem como jogador de futebol. Tudo começou em 2015, quando seu pai, Ivo Gonçalves, saiu de Franca, para apresentar o garoto ao Cruzeiro. O motivo da escolha pelo clube mineiro foi a indicação de um empresário de Belo Horizonte, que assistiu aos jogos da criança em São Paulo e gostou muito do que viu. Foi preciso apenas um DVD e poucos minutos em campo para Carlos Alberto Lins de Faria, conhecido como Bebeto, se encantar. Ele trabalha há 14 anos nas categorias infantis do clube celeste e foi o primeiro treinador de Estevão na Raposa.

Estevão Willian é o atleta mais jovem a assinar com o Nike no Brasil (Foto: Reprodução)

- Ele chegou com o pai dele em Belo Horizonte, me procurou no Cruzeiro com um DVD caseiro, veio junto com um amigo. Eu assisti na hora e gostei muito. Aí eu disse: "Agora, o próximo passo é a gente trazer ele (Estevão) aqui". Já tínhamos a categoria dele, na época era o sub-9. Coincidentemente, eu era o treinador da categoria. Ele fez a avaliação e foi muito acima dos meninos. Ele chegou no sub-9, mas já treinava com o sub-10. Ele começou a se desenvolver demais e a aparecer muito - afirmou Bebeto.

Excursões para torneios fora de BH se tornaram comuns na vida de Estevão e, consequentemente, o assédio de clubes brasileiros aumentou. Para Bebeto, agora ex-treinador do garoto, o menino é o jogador mais talentoso com quem trabalhou. Ele atua como meia, é canhoto, e veste, geralmente, a camisa 10 no Cruzeiro.

- Fomos para a Go Cup (em 2016, em Goiás), com a categoria sub-10, e ele se destacou demais. O Brasil inteiro começou a procurá-lo: Santos, Vasco, Botafogo, Flamengo. Todos que estavam lá começaram a assediar ele. Voltamos para Belo Horizonte, eu falei com o pai dele que iria reunir com o pessoal da categoria de base e ia passar a situação para eles. Fui na Toca, me reuni com a diretoria e falei que o menino era muito acima da média. Estou com 14 anos de Cruzeiro. Dos que passaram por mim, esse menino é o mais diferente. Ele é um menino com um potencial de ser um futuro jogador profissional a nivel de Ronaldinho, Ronaldo, Neymar. Paralelo a isso, levei ele para o futsal. No futsal… ele sobrou muito. Já viu aqueles vídeos do Neymar? Do Ronaldinho? Quando eles eram criança? Estevão é isso aí. Daquele jeito. Pega a bola no meio de campo, dribla o time todo e faz o gol.

Ivo Gonçalves, pai de Estevão, é pastor e precisou se transferir de igreja para morar em BH, em 2015, com a esposa Hetiene e a filha, na época ainda de colo, Ester. O início na capital mineira não foi fácil, mas eles contaram com ajuda de algumas pessoas e também do agora agente do jogador, Fernando Morais. O desejo dos clubes do Brasil de contar com o futebol do jovem de 10 anos também chega a Ivo.

- Ligam sempre para a gente. Principalmente, para mim, que sou o pai. Recebo telefonema todos os dias praticamente de clubes procurando, interessados. A maneira de lidar com isso é deixar o Estevão jogar futebol. Blindamos muito ele nessa questão. Deixamos ele sempre à vontade para jogar futebol. A questão extra-campo, nós procuramos resolver a gente mesmo. Às vezes, (Estevão) fica sabendo. O acesso é muito grande. Então, às vezes, acaba vazando alguma coisa. Mas, procuramos administrar bem essa questão na vida dele
 

Estevão Willian veste a camisa 10 no Cruzeiro (Foto: Reprodução)


 

Fonte: Globo Esporte