Paraiba

19/04/2019 - 18:00:51

Construtor de prédios que desabaram no Rio de Janeiro teria vindo à Paraíba após a tragédia

José Bezerra de Lira, conhecido como Zé do Rolo, foi apontado como o responsável pela construção dos prédios na Muzema.

Autor: Redação do portal

Um dos homens suspeitos de serem os responsáveis pela construção dos prédios que desabaram no Rio de Janeiro teria viajado à Paraíba no dia seguinte à tragédia, de acordo com depoimentos colhidos pela polícia. José Bezerra de Lira, conhecido como Zé do Rolo, foi apontado como o responsável pela construção dos prédios na Muzema.

Segundo publicação do Jornal O Dia, que ouviu um morador da região, Zé do Rolo seria morador da comunidade do Rio das Pedras, vizinha à Muzema. Ele mantém uma outra construção irregular na localidade conhecida como "Areal" - trecho da favela do Rio das Pedras que fica às margens da Lagoa da Tijuca. Ainda segundo este morador, que pediu para não ser identificado, Zé teria viajado para a Paraíba no dia seguinte à tragédia.

Nesta sexta-feira (19), a delegada Adriana Belém, titular da 16ª Delegacia de Polícia (Barra), pediu e a Justiça decretou a prisão de três pessoas ligadas ao desabamento dos dois edifícios na comunidade da Muzema, que já deixou 20 mortos confirmados e três moradores ainda desaparecidos.

 

Ela explicou que o pedido à Justiça só foi possível a partir dos depoimentos de algumas testemunhas, ocorridos ontem (18), que reconheceram os três: o construtor José Bezerra Lira, o Zé do Rolo, e os vendedores Rafael Costa e Renato Ribeiro. Todos foram indiciados por homicídio doloso.

“Nós tínhamos a informação de que seriam eles. Ontem foi o nosso primeiro contato com as vítimas, que em princípio resistiam, por motivos óbvios, mas confiaram no nosso apelo, foram lá e reconheceram. Nós pedimos a prisão desses três, que foram efetivamente reconhecidos, como o construtor e dois vendedores”, explicou a delegada.

A Muzema é uma área na zona oeste, em Jacarepaguá, controlada por milícias, que promovem a construção irregular e ilegal de imóveis, em áreas ambientais, sem nenhuma autorização da prefeitura nem engenheiro responsável. O solo na região é arenoso e os dois prédios desabaram no início da manhã do dia 12, poucos dias depois que uma chuvarada atingiu fortemente a cidade. 

Fonte: Diamante Online