Policial

13/01/2018 - 05:30:49

'Ele me jogou no chão e disse: deita que eu vou te matar', diz motorista de van assaltada, na PB

Em depoimento, vítimas falam dos momentos de terror enquanto estavam sob a mira dos assaltantes.

Autor: Redação do Portal

"Ele me jogou no chão e disse: deita que eu vou te matar", diz José Alves, motorista da van que foi assaltada na BR-230, em Campina Grande, na madrugada desta sexta-feira (12), além do motorista, passageiros que estavam no veículo também relataram momentos de muita tensão e violência durante o assalto.

Criminosos chegaram já atirando e vítimas só não foram atingidas porque vidros eram resistentes a tiros (Foto: Felipe Valentim/TV Paraíba)

Uma das passageiras, a dona de casa Geovana Tertuliano, contou que um dos assaltantes apontou a arma para o rosto dela e puxou o gatilho, mas a arma já estava sem balas no momento e ela sobreviveu. De acordo com Geovana, após atirar, o assaltante disse: "esse tiro era pra você, sorte sua que não tem mais balas", conta a dona de casa.

O motorista que levava os 20 passageiros entre elas sete crianças conta como foi que aconteceu o assalto. "Quando o carro parou na minha frente, chegou atirando. Em seguida estavam quatro homens armados mirando para a van, depois um dos assaltantes me jogou no chão e disse: deita que eu vou te matar".

"Eu olhei ao redor e tinham muitos rapazes, começaram falando, dinheiro, carteira, bolsa. Se esconder morre. A gente ta aqui para matar. Eu achei que eu ia morrer, estava todo mundo naquela situação de pânico, e eles não têm dó", contou Leonilda Ferreira, outra vítima do assalto.

Emocionado José Alves lembra a reação da filha após tudo acabar. "Minha filha de dez anos se agarrou comigo e eu disse: está tudo bem minha filha, nós escapamos", disse Alves que depois de todo o terror trata o medo como um momento passageiro, assim como os seus bens.

De acordo com a Polícia Militar até as 18h (horário local) desta sexta-feira nenhum suspeito pelo assalto à van na BR-230 havia sido localizado e preso.

 


 

Fonte: Redação do Portal Vale do Piancó Notícias com G1